Mundo Empresarial Novidades

44ª MOSTRA sedia ENCONTRO DE LIDERANCAS FEMININAS NO AUDIOVISUAL

Encontro virtual com profissionais brasileiras e estrangeiras nos dias 03 e 04 de novembro destaca o tema diversidade na produção audiovisual no Brasil e no mundo

A 2ª edição do Fórum Nacional Lideranças Femininas no Audiovisual, volta à Mostra com uma programação intensa que inclui convidadas internacionais e o encontro de lideranças femininas de todo o país. A iniciativa é uma iniciativa do +Mulheres Lideranças do Audiovisual Brasileiro, com o patrocínio da Spcine.

A cineasta israelense Alma Har’el, criadora da plataforma FREE WORK, a Diretora Internacional de Originais da Netflix, Maria Angela de Jesus, e a cofundadora do Collectif 50/50, Delpphyne Besse, são nomes confirmados no evento.

Além das profissionais citadas, que vão apresentar seus projetos de apoio e estímulos às mulheres na condução de suas carreiras, o II Fórum Nacional de Lideranças Femininas no Audiovisual homenageia, no dia 04, a produtora brasileira Mariza Leão .


03 de Novembro, terça-feira

Seminário Internacional Mulheres no Audiovisual

10:45 – 11h00 – Abertura: ONU Mulheres

Anastasia Divinskaya | Representante da ONU Mulheres no Brasil

11:00 – 12:00 – Mesa 1 – Free The Work: uma plataforma internacional de talentos

A plataforma internacional FREE THE WORK, criada pela cineasta Israelense Alma Har`el, reúne portfólio de profissionais sub-representadas para promover sua inserção na publicidade, TV e plataformas de streaming. A iniciativa conta com a parceria do Facebook e da Amazon e, a partir de 2020, passou a incluir talentos brasileiros.

Alma Har’el – Nascida em Tel Aviv, iniciou sua carreira no cinema como fotógrafa e videoartista. É diretora de documentários como Bombay Beach – prêmio de melhor documentário no Tribeca Film Festival em 2011, e LoveTrue lançado em 2016. Dirigiu também peças publicitárias premiadas para grandes marcas como P&G, Chanel e Facebook.
Em 2016, fundou a organização sem fins lucrativos Free The Bid, engajando agências e marcas para incluir uma mulher na direção em obras publicitárias.

Em um ano já contava com o apoio de 40 agências e 10 grandes marcas (incluindo Coca-Cola, LinkedIn e Twitter) elevando a contratação de mulheres diretoras em até 400%. Em 2019, fundou o Free The Work, uma plataforma que dá visibilidade a talentos sub-representados para sua inclusão na produção de conteúdos para o cinema, TV e plataformas de streaming. A iniciativa já conta com o engajamento do Facebook e da Amazon.

Mediação: Kelly Castilho

16:00 – 17:00 – Mesa 2 – Collectif 50/50: a sociedade civil impulsionando mudanças

O COLLECTIF 50/50, criado pela profissional de mercado Delphyne Besse, organizou o protesto midiático em 2018 nas escadarias do Festival de Cannes, com 82 celebridades, para defender a igualdade de oportunidades para as mulheres. Elas conquistaram a adesão de 120 festivais pelo mundo para a equidade de gênero nas comissões de seleção e avanços pró-diversidade nas políticas de fomento do CNC.
Delphyne Besse – Delphyne tem mais de 15 anos de experiência no mercado internacional de vendas de filmes, representando obras de importantes diretores como Irmãos Dardene, Takeshi Kitano, Xavier Dolan, Julie Delpy, Todd Haynes, Michael Haneke, François Ozon.
É cofundadora do Collectif 50/50, cujo objetivo é desafiar os estereótipos de gênero no cinema e lutar pela igualdade de gênero e inclusão na indústria cinematográfica.

Atualmente trabalha na UniFrance, a organização encarregada de promover o cinema francês no mundo.
Mediação: Alexandra Loras

17:00 – 18:00 – Mesa 3 – Netflix: Histórias e Diversidade no Brasil

A Netflix está comprometida em produzir as melhores histórias brasileiras, e está fazendo isso com foco em ampliar a diversidade tanto na frente quanto por trás das câmeras – impulsionando a inclusão de talentos na realização de filmes e séries no Brasil, apoiando o desenvolvimento de novos talentos e compondo um diverso de executivos liderado pela Maria Angela de Jesus no Brasil, de quem ouviremos as últimas novidades e investidas na empresa no campo de inclusão, diversidade e estratégia no Brasil.
Maria Angela de Jesus, Diretora de Produções Original, Brasil

Diretora de Produções Original para o Brasil na Netflix, desde Novembro de 2017, quando assumiu a liderança do time responsável pela produção de séries ficcionais como “Sintonia”, “Coisa Mais Linda”, “Bom Dia, Verônica”, entre outros. Formada em Jornalismo, iniciou sua carreira como repórter cultural na Veja e teve passagens por alguns dos principais meios jornalísticos do país antes de contribuir com a realização da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. Em 1997, de Jesus chega a HBO no Brasil, onde trabalhou por mais de uma década, até time de produções original, conquistando algumas indicações ao Emmy Internacional por “PSI”, “Mandrake” e “Filhos do Carnaval”, entre outros. Maria Angela também é autora de biografias autorizadas como Ruth de Souza – A Estrela Negra, Eva Todor – Minha Vida no Palco e Glauco Mirko Laurelli: Um Artesão do Cinema”.
Mediação: Debora Ivanov


04 de Novembro, quarta-feira

Encontro de lideranças

10:45 – 11:00 – Abertura: ONU Mulheres

Ana Carolina Querino – Gerente de Programas da ONU Mulheres Brasil

11:00 – 12:00 – Mesa 1 – Trajetórias: Marisa Leão

A trajetória profissional de Mariza Leão conta com 45 anos produzindo filmes e séries em meio as constantes mudanças políticas do país. Ela se tornou uma das vozes mais ativas na construção de políticas de desenvolvimento para a produção nacional. Sua trajetória conta com inúmeros sucessos de público, entre eles, O homem da Capa Preta, Canudos, Meu nome não é Johnny, De pernas pro ar e Meu passado me condena.

Mediação: Ana Paula Sousa

14:00 – 16:00 – Cenário das políticas públicas (fechado)
16:00 – 18:00 – Potencializando a rede de colaboração (fechado)