Educação Mundo Empresarial Últimas

A Escola de Impacto chega para incentivar jovens a transformar a sociedade via empreendedorismo social

Com oficinas especializadas e grandes especialistas, o projeto visa engajar jovens brasileiros de escolas privadas e de programas empresariais de jovens aprendizes em projetos de impacto social

A Turma do Jiló e o Projeto Serendipidade, instituições sociais que promovem a inclusão e a diversidade no ambiente escolar e empresarial, apresentam a Escola de Impacto. O objetivo do projeto é estimular o empreendedorismo social entre os jovens brasileiros, de modo que esses possam gerar impacto positivo, envolvendo-se na construção de uma sociedade mais justa.

A iniciativa, atualmente com 100 vagas abertas, terá início no próximo mês e será aplicada em ciclos de dois anos, com foco em jovens de 14 a 18 anos, provenientes de escolas privadas e de programas de Jovens Aprendizes em empresas de todo o Brasil. Dentro de suas atividades esses adolescentes irão despertar propósitos de vida por meio da sensibilização, desenvolvimento de habilidades socioemocionais, competências de liderança e empreendedorismo e de vivências e experiências práticas.

.

Um time de especialistas, com vasta experiência na construção de pontes entre a sociedade, o poder público e mundo corporativo, vai compartilhar seu conhecimento com o grupo de alunos. São eles: Edu Lyra (Gerando Falcões), Geyze, Ana Maria e Abílio Diniz (Instituto Península), Elie Horn (Instituto Cyrela), Rony Meisler (Reserva), Priscila Cruz (Todos Pela Educação), Celso Athayde (CUFA), Carlo Pereira (Pacto Global), Diego Calegari (Politize), Caroline Celico (Fundação Amor Horizontal), Sid Efromovich e Marina Feffer (Generation Plegde), Tatiana Sayeg e Paula Batista (TDJ), dentre outros. Além disso, metodologias de design thinking e as habilidades individuais e coletivas do próprio grupo serão utilizadas para criar um ambiente moderno, plural e atrativo de ensino.

Os dois anos da Escola de Impacto serão divididos com dinâmicas distintas. No 1º ano, os grupos são separados por idades para a participação em oficinas online de conhecimento sobre temas como direitos humanos, educação política, inclusão e desigualdade social, racismo, cultura de doação e filantropia, preconceito, saúde mental, economia circular e sustentabilidade, para que entendam as demandas e problemas sociais do Brasil. Jovens com deficiência também participarão desta formação, que inclui ainda saídas a campo – os chamamos trabalhos voluntários guiados – que serão um grande instrumento de sensibilização e concretização do estudo.

Já no 2º ano, os jovens terão a oportunidade de colocar em prática tudo o que aprenderam na primeira parte do ciclo de formação, por meio de um laboratório de experimentação com mentoria de especialistas, a fim de desenvolverem projetos inovadores e de impacto social nas áreas em que desejarem. No final de todas as oficinas, os projetos serão apresentados a uma banca avaliadora para melhor direcionamento da execução, incluindo possibilidade de aceleração e fomento.

.

O projeto será financiado pelas empresas parceiras e será cobrada uma mensalidade para os alunos de escolas particulares. Para saber mais acesse o site http://www.escoladeimpacto.org e perfil no Instagram @escoladeimpacto.