Educação

A influência do sono na produtividade dos estudos

Ter uma boa noite de sono ajuda a organizar e memorizar os conteúdos vistos e até solucionar problemas que antes eram ditos como impossíveis

Na vida acadêmica, é comum passar a noite acordado revendo conteúdos para uma prova importante no dia seguinte. Existem até diversas técnicas que ajudam a tirar o sono na hora de estudar. Porém, por mais que o estudante fique acordado, nem sempre todo o conteúdo estudado é absorvido. De acordo com um estudo realizado por Matthew Walker, professor e PhD de neurociência da Universidade da Califórnia, é o sono que cria conexões entre as informações do cérebro enquanto estamos acordados e inspira a criatividade. Portanto, dormir bem é fundamental para fazer associações importantes na hora de encarar qualquer desafio – até as provas difíceis.

Matthew é autor do livro “Why We Sleep“, e afirma que é na hora de dormir que o cérebro se diferencia de um computador. Sendo assim, a máquina consegue armazenar milhares de arquivos com precisão, mas não consegue associá-los, e o sono, principalmente na fase REM (condição de relaxamento total), faz a interligação de todas as informações. Walker dá como exemplo do poder do sono no aprendizado, os bebês, pois aprendem com facilidade novas palavras e que pode estar ligada ao sono REM. Já sobre o melhor horário para estudar, é preciso descobrir o pico de cansaço e evitar o estudo em horário que está mais distraído.

Pausa nos estudos: o ambiente ideal para se desconectar

Já que não é preciso passar noites em claro estudando – e sim ter momentos apropriados para dormir -, damos dicas de um ambiente ideal que vai ajudá-lo a dormir melhor e ter ótimos resultados na rotina de provas. Confira:

Iluminação

Nosso corpo é influenciado pelo ambiente. Quando escurece, a tendência é que ele vá se preparando para dormir. E o contrário também acontece. Ou seja, se o seu quarto tem luz em excesso, seu organismo pode estar interpretando que é hora de despertar. Então, ao anoitecer hoje, faça uma “perícia” no ambiente. Feche a porta e as cortinas, avaliando se tudo ali está realmente escuro. Fique atento aos detalhes. Até aquelas luzes menores, que vêm de relógios com LED, ou até do aparelho de TV podem influenciar. Então é importante desligá-los.

Temperatura

Apesar das preferências de cada um, estudos mostram que a temperatura ideal para dormir, que varia de 18º a 21º C. Roupas e cobertores também transmitem e retém calor. Portanto é importante escolher roupas de cama adequadas que trazem conforto e não permita que sinta frio ou calor durante a noite. O equilíbrio é importante.

Colchão

Existem vários modelos no mercado e é preciso escolher uma opção que ofereça conforto, mas também o apoio que o seu corpo e a coluna precisam. Um modelo que se destaca no mercado é o Colchão Zissou, feito em três camadas. A primeira é feita com látex hipoalergênico, que oferece equilíbrio e frescor. A segunda possui viscoelástico de memória responsiva, que adapta à forma do corpo conferindo conforto, por último, uma camada com espuma de poliuretano, que dá o suporte correto à coluna. O colchão ainda é envolto com uma capa especial, sofisticada em malha premium lavável, oferecendo a temperatura ideal. A qualidade das matérias primas da marca faz com que o colchão seja considerado ideal para mais de 90% dos brasileiros.

Travesseiro

travesseiro é um outro item importante que precisa de atenção, pois ele pode estar deixar a pessoa desconfortável e atrasar ainda mais o sono. O ideal é que tenha um travesseiro que se molde a cada necessidade: altura, nível de conforto, resposta, entre outros aspectos que determinam o modo único de dormir de cada pessoa. Há um tempo que a Zissou lançou um modelo no mercado, composto por uma capa de algodão 300 fios com fibra siliconizada e três camadas de viscoelástico de memória responsiva, com formas e alturas diferentes. Podendo ser colocadas ou retiradas de acordo com a necessidade.Sobre a Zissou: