Mundo Empresarial Novidades Tecnologia e Games

Abraceel e Ibope lançam na FIESP pesquisa de opinião pública 2019 sobre a energia elétrica no Brasil

87% dos brasileiros consideram muito caro o valor que pagam pela sua energia elétrica e 79% declararam que gostariam de ter a liberdade de escolher o seu fornecedor

O IBOPE e a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia – ABRACEEL – apresentam, nesta segunda-feira, dia 12/08, às 09h00, na sede da FIESP na capital paulista, a Pesquisa de Opinião Pública 2019 sobre o que pensa e quer o brasileiro do setor elétrico. O objetivo da pesquisa foi levantar a opinião dos brasileiros sobre a possibilidade de escolher o seu fornecedor de energia, além de produzir a sua própria energia. A pesquisa confirma uma tendência nacional de crescimento dos consumidores que apontam uma série de descontentamentos com o preço que pagam na sua conta de luz e o desejo de serem livres para optar por sua empresa fornecedora de energia.

De acordo com esse levantamento do IBOPE, 87% dos brasileiros consideram muito caro o valor que pagam pela sua energia elétrica. Subiu de 63 para 65% a percepção do excesso de impostos cobrados na conta de luz. Um dado que chama atenção é que 79% dos brasileiros declararam que gostariam de ter a liberdade de escolher o seu fornecedor de energia elétrica, um crescimento de 10% sobre o número avaliado em 2018. Entre os pesquisados com nível mais elevado de escolaridade e renda familiar esse número chega a 82%.

Outro dado interessante dessa avaliação pública do setor elétrico brasileiro é a percepção revelada em 57% da população de que o custo da energia deve cair com a abertura do mercado.

Para o presidente da ABRACEEL, Reginaldo Medeiros, que encomenda anualmente essa pesquisa, os resultados apontam um crescimento constante no interesse do brasileiro em ter liberdade de escolha. “O Brasil não pode caminhar na contramão do mundo. Países desenvolvidos abriram seus mercados de energia e desfrutam de uma economia e de um crescimento de produção que o nosso mercado também merece”. O mercado livre no Brasil já existe, embora esteja restrito a grandes consumidores, que alcançaram uma economia em torno de 185 bilhões de reais nos últimos 16 anos.