Novidades Saúde

Angelina Caron investe em “cirurgia sem corte” com novo aparelho de radioterapia

Passar por um tratamento com radioterapia nunca é um processo fácil. Mas os pacientes do Hospital Angelina Caron (HAC), em Campina Grande do Sul, têm à sua disposição pelo SUS um tratamento mais preciso e ágil, graças ao aparelho de radioterapia de última geração adquirido pelo hospital. O equipamento multi-leaf écapaz de realizar radioterapia de intensidade modulada (IMRT), radioterapia guiada por imagem (IGRT) e radiocirurgia – a chamada cirurgia sem cortes, utilizada em alguns tumores e condições benignas.

O novo equipamento permite proteger os órgãos saudáveis, adjacentes aos tecidos afetados por tumores e que antes também receberiam a radiação. Menos invasiva, essa tecnologia preserva os tecidos não comprometidos. Assim, o processo de planejamento e execução do tratamento se tornou totalmente computadorizado.

“A tecnologia permite desenhar exatamente o campo de radiação de cada paciente. Podemos traçar até o formato mais sinuoso, como o de uma letra jota, se essa for a forma da área a ser tratada. O novo aparelho também é dotado de feixes de fótons e elétrons de diversas energias que permitem a elaboração de tratamentos mais adequados para a necessidade de cada paciente”, explica o médico Alexandre Alvim, responsável pelo setor de radioterapia do HAC.

Atendimento ampliado

A chegada do Elekta Synergy amplia em 62% a capacidade de atendimento do setor de radioterapia do HAC. Em média, eram atendidos 140 pacientes por dia na ala de oncologia e a capacidade agora sobe para 267 atendimentos diários.

“As vantagens para o paciente são inúmeras: não há necessidade de internação, já que a radioterapia é feita sem cortes ou anestesia. Pode ser aplicada em tumores benignos e malignos, e abrange regiões variadas do corpo, como ossos, rins, supra renal, fígado, pulmão e até no cérebro”, pontua Alvim.

A aquisição do equipamento pelo Hospital Angelina Caron faz parte do Projeto Radioterapia Moderna para Idosos, viabilizado pelo Fundo Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Campina Grande do Sul. Além do equipamento no hospital, o HAC tem outro aparelho em sua Unidade de Oncologia, em Curitiba.