Novidades

Aperfeiçoando pessoas

Em busca de se tornar uma pessoa melhor, Robson Hamuche descobriu a vocação de ajudar os outros. Tornou-se terapeuta transpessoal e agora lança o livro “Um compromisso por dia”, com exercícios e sugestões visando à mudança de atitudes

Há quase uma década, transformar-se em uma pessoa melhor se tornou uma obsessão para o então empresário do ramo de confecções Robson Hamuche. Não demorou muito e esse cuidado com o seu próprio desenvolvimento pessoal se transformou em vontade de ajudar ao próximo. Com esse objetivo, Hamuche – que agora é terapeuta, escritor e empreendedor – e seu mentor, o também terapeuta, Tadashi Kadomoto, elaboraram o livro “Um compromisso por dia – pequenas ações diárias”, recém-lançado pela Editora Gente. A obra contém, para cada dia do ano, exercícios e sugestões de mudança de atitudes para que os leitores aprendam a se conhecer melhor e a levar a vida com mais leveza, aprimorando a empatia, a bondade e o desapego.

A iniciativa do livro está relacionada a uma atividade que Hamuche desenvolve desde 2014, quando começou a compartilhar em redes sociais mensagens de cunho motivacional, que rapidamente chamaram a atenção de milhares de pessoas. A iniciativa cresceu tanto e em tão pouco tempo que Hamuche criou o Resiliência Humana, um grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano.

Engenharia civil e fábrica de calças jeans

A trajetória profissional de Hamuche começou, porém, bem distante deste mundo. Em 1996, por influência do pai, que não teve a oportunidade de aprofundar-se nos estudos, Hamuche ingressou no curso de Engenharia Civil da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mas Hamuche nâo concluiu o curso. “Eu vi que ali não era o meu lugar”, diz. O que não siginifica que Hamuche não tenha aprendido bastante no período de seis anos em que estagiou na Gafisa, uma das grande empresas do ramo imobiliário no Brasil. Como gerenciava obras, que costumavam contar com quase uma cententa de homens trabalhando, Hamuche aprendeu uma habilidade que seria importante para seu crescimento pessoal e profissional. “Eu aprendi a lidar com gente”, afirma.

De origem libanesa, o pai de Hamuche construiu um verdadeiro império no mercado atacadista e varejista de tecidos. Alocou-se na 25 de março, tradicional rua de comércio paulistana, onde começou a trabalhar muito jovem, ao lado do irmão e do avô, como mascate, comprando e vendendo mercadorias. Um das marcas que faziam parte do Grupo Hamuche, era uma fábrica de jeans, a RH Jeans, cujo nome levava as iniciais tanto de Robson quanto de seu irmão, Ricardo, que era o responsável por essa planta fabril à época. Tempos depois de desistir da engenharia, Robson se juntou ao irmão e foi utilizar seus dotes de bom comunicador e gestor de pessoas para ajudar na expansão do negócio familiar. E deu certo. “Chegamos a vender 200 mil calças por mês para grandes empresas como C&A, Carrefour e Wallmart”, relata.

Hamuche trabalhou durante 12 anos no segmento atacadista de tecidos, dividindo a atenção, durante os últimos anos de sua participação na empresa familiar, com negócios próprios na área de eventos. No final de 2010, Hamuche já apresentava sinais de descontentamento com o rumo de sua própria vida e procurava um sentido mais profundo à sua existência. Foi então que familiares sugeriram que ele participasse de um curso de “leader training”, promovido pelo Instituto Tadashi Kadomoto (ITK), que há quase 30 anos dedica-se ao desenvolvimento e aplicação de treinamentos comportamentais e vivenciais, almejando ao desenvolvimento pessoal, para que as pessoas se conscientizem de seu papel no mundo.

Conhecendo a si mesmo

No curso, Hamuche teve uma epifania. “Eu descobri as minhas carências, os meus medos, as minhas mentiras internas, porque eu tomava algumas atitudes erradas na vida e porque tinha problemas com os meus pais”, relata. Interessou-se tanto pelo que aprendeu durante essa primeira experiência que em um intervalo de um ano realizou diversos os cursos oferecidos pelo ITK. Entre os treinamentos e palestras disponibilizados pelo Instituto estão: “Transcendendo seus limites”; “Despertando o poder pessoal”; “Construindo identidade”; “Constelações familiares”; e “Vivendo com inteligência emocional”, além de cursos de Reiki, coaching e orientação vocacional e profissional.

A natureza questionadora de Hamuche fez com que ele se aproximasse de Tadashi Kamoto, fundandor do ITK, que o incentivou a tornar-se um terapeuta transpessoal. Para isso, Hamuche realizou a formação de dois anos e meio em “Expansão da Consciência”, oferecida pelo Instituto. O enriquecimento de sua capacitação veio através especializações em Programação Neurolinguística (PNL), Experiência Somática, Regressão de Vidas Passadas e Psicologia Transpessoal, entre outras. No final de 2013, Hamuche começou a prestar atendimentos nas vivências realizadas pelo ITK e no começo de 2014 já fazia atendimentos individuais na clínica do Instituto.

Atualmente, além dos serviços prestados ao Instituto Tadashi Kadomoto, Hamuche toca a sua empresa, a Resiliência Humana (RH), com o suporte de seu sócio, Lincoln Nascimento. Assim como a antiga fábrica de jeans da família, o empreendimento carrega as iniciais do nome e sobrenome de Hamuche. Nessa iniciativa, Tadashi também é seu parceiro, recebendo espaço nas redes sociais para compartilhar mensagens motivacionais e divulgar treinamentos. Hamuche faz questão de destacar a importância de Tadashi no seu crescimento pessoal e profissional. “Tadashi foi meu mestre e me passou todo seu conhecimento da área. Acompanhei-o em todos os seus treinamentos. Aprendi muito com ele”, diz.

As mensagens inspiradoras compartilhadas pelo Resiliência Humana podem ser encontradas em diversas redes sociais, entre os quais o Instagram (@resiliencia_humana), Facebook (@resilienciahumana), Twitter (@resiliencia_h), e Youtube, no canal Resiliência Humana. O sucesso da empreitada é grande, principalmente no Facebook, onde a página já é curtida por mais de 6,3 milhões de pessoas e na página do Instagram, cujo número de seguidores já atingiu a marca de 5,2 milhões.