Gestão e Negócios Mundo Empresarial Tecnologia e Games

Artemisia e Accenture anunciam programa para impulsionar potências empreendedoras em jornada digital

O programa JA_É: Jornada de Apoio a Empreendedores(as) vai selecionar 400 participantes de todo o Brasil para uma trajetória online, via WhatsApp, com duração de seis semanas. A iniciativa da Artemisia e Accenture conta com a parceria estratégica da PretaHub e da Fundação Arymax; apoio da Articuladora de Negócios de Impacto da Periferia (ANIP) e da Migraflix; além do suporte tecnológico da LYS. As inscrições – abertas de 15 de setembro a 6 de outubro – podem ser feitas pelo site www.impactosocial.artemisia.org.br/jornada-empreendedora

 A pandemia acelerou a necessidade dos empreendedores se adaptarem à era digital, repensando os processos internos e os canais de venda para o online. Frente a esse cenário, no qual muitos negócios micro e pequenos precisam de apoio para a transição, surge o programa JA_É: Jornada de Apoio a Empreendedores(as).

Resultado da parceria da Artemisia e Accenture, a iniciativa online, conduzida por WhatsApp no período de seis semanas, deve movimentar cerca de 400 empreendedores brasileiros de pequeno porte. A ação irá disponibilizar conteúdos voltados a auxiliar os negócios no processo interno de gestão e vendas em canais digitais. Aulas exclusivas com nomes que são referência do ecossistema empreendedor – como Adriana Barbosa, idealizadora da Feira Preta e PretaHub – são parte da programação.

As inscrições estão abertas de 15 de setembro a 6 de outubro; a formação acontece de 26 de outubro a 4 de dezembro. Mais informações sobre o programa e o formulário para inscrição podem ser acessados no site: www.impactosocial.artemisia.org.br/jornada-empreendedora

.

Com parceria estratégica da PretaHub e Fundação Arymax; e apoio da Articuladora de Negócios de Impacto da Periferia (ANIP) e da Migraflix, a iniciativa tem o objetivo de dar suporte a dois grupos: empreendedores que atuem em áreas de baixa mobilidade social (periferias e comunidades de baixa renda) e afroempreendedores – ambos com grande potencial de consolidar os negócios no ambiente digital –, para que possam potencializar a digitalização dos próprios canais de venda e modernizar os processos de gestão e produção.

A proposta se baseia na premissa de que, muitas vezes, uma simples reorganização tem potencial para aumentar a produtividade e a eficiência de micro e pequenas empresas; ao incorporar tais inovações, há incremento nas vendas, redução de custo e aumento na renda do empreendedor.

O programa foi pensado para trazer resultados rápidos e efetivos para micro e pequenos negócios, em formato prático e adaptado à realidade dos empreendedores, que poderão seguir a jornada online no horário, local e ritmo que melhor se encaixe em sua rotina. A iniciativa conta com o suporte tecnológico da LYS, que apoiou a criação dos conteúdos em uma metodologia digital baseada em conceitos da neurociência, como o nano learninglearning by doing e nudging.

.

Utiliza-se de linguagem empática e engajadora, interações constantes e acompanhamento individual de cada participante para melhores resultados. Entre os módulos que fazem parte da jornada: Proposta de Valor, Cliente, Rentabilidade, Canais de Vendas Online, Inovação nas Atividades-chave, Gestão Financeira, Planejamento e Metas; e Acesso a Crédito.

Segundo Maure Pessanha, diretora-executiva da Artemisia, investir em empresas com esse perfil é apoiar uma engrenagem muito transformadora. “Quanto mais produtiva uma empresa é, mais valor ela gera para a própria comunidade do entorno, movimentando a economia local, gerando renda e emprego. O fortalecimento desses empreendedores dialoga com medidas para apoiar a inclusão produtiva no país, sendo uma forma de impulsionar o nível de renda e apoiar a redução da exclusão social”, afirma.

Maure acrescenta que há muito potencial entre os empreendedores brasileiros e, com o apoio correto, eles podem melhorar as próprias empresas e driblar os desafios da atual crise. “No Brasil, pequenos negócios respondem por 52,2% dos empregos gerados e existem mais de 8 milhões de microempreendedores individuais (MEI), de acordo com o Sebrae. O momento atual acelerou a necessidade de repensarem processos internos e canais de vendas para que pudessem seguir com as atividades e manter suas empresas ativas.

.

Porém, muitos precisam de apoio para se adequarem ao novo contexto. Com esse norte, Artemisia e Accenture se uniram para desenvolver e correalizar essa iniciativa inédita, que busca reduzir as barreiras de letramento digital dos empreendedores, com conteúdos práticos e gratuitos.

Porém, muitos precisam de apoio para se adequarem ao novo contexto. Com esse norte, Artemisia e Accenture se uniram para desenvolver e correalizar essa iniciativa inédita, que busca reduzir as barreiras de letramento digital dos empreendedores, com conteúdos práticos e gratuitos.

“Usamos nossos conhecimentos em inovação para ajudar a enfrentar os desafios sociais em um contexto de transformação digital. Assumimos o compromisso de somar nossas expertises para alcançar impactos ainda maiores. Empoderar pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica contribui para a formação de profissionais qualificados e o desenvolvimento de um mercado de trabalho com mais diversidade e inclusão”, comenta Matthew Govier, diretor da Accenture e líder de Cidadania Corporativa para América Latina.

“A inclusão digital de micro e pequenos empreendedores, que já era importante, agora se tornou urgente. A internet é hoje um ambiente fundamental para o desenvolvimento e crescimento de qualquer negócio. Ao contribuir para reduzir as barreiras e democratizar o acesso e permanência dos pequenos negócios no mundo digital, o programa JA_É: Jornada de Apoio a Empreendedores(as) ajuda a promover a inclusão produtiva no Brasil, fortalecendo empreendedores e seus negócios e preservando os empregos associados a eles”, analisa Vivianne Naigeborin, superintendente da Fundação Arymax.  

.

Para participar, os empreendedores devem ter negócios ativos; com produtos e serviços que já estejam vendendo ou tenham potencial de iniciar as vendas pela internet. Um ponto importante é que os participantes não precisam estar formalizados, ou seja, os informais também estão qualificados a participar do processo de seleção. Com um modelo inovador e escalável, o programa permitirá potencializar negócios de um grande número de brasileiros nos quatro cantos do país.

Os 20 empreendedores que mais se destacarem ao longo do processo irão receber, cada um, R$ 1.500,00 para usarem em ações que apoiem melhorias, como otimização de processos internos ou digitalização das vendas.