Educação Novidades

Caso as aulas retornem, escolas necessitam de investimento em higienização e sanitização

Investimento pode chegar a R$20 mil por escola em itens de higienização, como álcool 70% e produtos de limpeza próprios para controle da pandemia

Uma das grandes discussões que envolvem a população brasileira nos últimos 15 dias está o retorno ou não das aulas presenciais, tanto nas escolas públicas quanto particulares brasileiras. O Estado do Paraná, por exemplo, a Secretaria de Estado da Educação (Seed), lançou uma pesquisa on-line para ouvir os pais e responsáveis de 1,07 milhão de alunos da rede estadual de ensino e os mais de 70 mil profissionais de Educação a respeito do retorno às aulas.

Se aprovado o retorno, tanto nas escolas públicas e particulares, na forma híbrida ou não, será necessário todo um regulamento a ser seguido no quesito proteção e sanitização dos ambientes, carteiras e materiais escolares, além do distanciamento social.

Toda essa preparação, exigirá das escolas investimentos para que as salas de aulas sejam ambientes seguros, nesse momento de pandemia, para os mais de 47,8 milhões de estudantes brasileiros, tanto das escolas públicas quanto da rede privada de ensino.

Estima-se que uma escola que atenda da Educação Infantil ao Ensino Médio necessite investir em torno de R$ 20 mil por mês / unidade, em higienização das salas de aula, entradas e pátios. “É um valor significativo mensal, por isso a necessidade de contar com produtos que atendam as expectativas e comprovem a eficácia”, salienta Fabiano Polak, Diretor Científico da Nano4you.

Segundo Polak, os protocolos que estão sendo divulgados preveem a higienização completa de todos os ambientes escolares. “A melhor forma de prevenção realmente é uma limpeza das carteiras na saída e na entrada dos alunos. E preferencialmente com um produto que não gere reações alérgicas nas crianças”, ressalta. Nesse sentido, para atender essas demandas, a Nano4you disponibilizou no mercado um produto de higienização. Com laudo de abrangência internacional, respeitando todos os processos e protocolos da Anvisa, que indica o produto para limpezas das carteiras, maçanetas, banheiros, pátios, enfim, todos lugares que aconteçam essa possível contaminação.

Já a necessidade de investimento em álcool 70% é unânime. O produto já foi escolhido para higienização das mãos, no entanto deve-se se atentar ao cuidado na manipulação do mesmo por crianças. “O ideal é que cada escola programe a instalação de um totem nas salas de aula, bibliotecas, pátios e entradas e preferencialmente com o biogel, que é um álcool de grau alimentício que promove um menor impacto nas mãos e com espessante de alta qualidade”, explica Polak. “Doze litros de produto, que é a quantidade armazenada em um totem da Nano4you possibilitam que os estudantes usem isso durante todo o dia letivo, não precisando a reposição constante do reservatório pelas professoras, apenas ao final do período preparando para um novo dia de aula. É um maquinário diferencial do mercado, onde também não tem o contato do aluno, apenas via pedal, evitando a contaminação”, pontua.

O importante é, definindo o retorno às aulas, o mercado já disponibiliza de produtos para uma higienização segura para alunos, funcionários, professores. “Vale, toda e qualquer escola ao realizar a compra, solicitar os laudos de avaliação do produto e certificar sua procedência, funcionalidade e autorização de comercialização e se possível o laudo em relação a efetividade ao coronavírus”, finaliza Polak.