Mundo Empresarial

Dooplace zera taxas por 3 meses para usuários e proprietários para impulsionar espaços comerciais ociosos após isolamento

Maior plataforma de compartilhamento on-line do país aposta na geração de renda para proprietários, autônomos e profissionais liberais

Enquanto os médicos e cientistas procuram conhecer e reduzir o impacto do coronavírus à saúde das pessoas, o mercado busca se adaptar à nova realidade econômica, principalmente, com a perda de receitas. Pensando nisso, a Dooplace, startup curitibana de compartilhamento de espaços comerciais, zerou as taxas por 3 meses para gerar renda a proprietários e reduzir custos de autônomos e profissionais liberais dos mais diversos setores.

Os diretores da plataforma acreditam no aumento rápido da busca por prestação de serviços de dentistas, cabeleireiros, psicólogos, manicures, nutricionistas, designers e profissionais de outros ramos após o período de isolamento social e, com isso, a demanda por espaços ociosos para atuação de forma rápida. A palavra-chave para recuperação, segundo eles, é o compartilhamento.

Everson Gauer, diretor comercial da Dooplace, explica que este período mostra a necessidade de adaptarmos a lógica de utilização dos locais de trabalho pela cidade. ”Hoje, a nossa plataforma permite que empresários e proprietários gerem renda extra ao compartilharem seus espaços com outros profissionais e isso é crucial para garantir a liquidez do negócio, já que ficaram parados em decorrência da pandemia. Em contrapartida, os usuários têm a possibilidade de atuar em um espaço comercial sem se preocupar com nenhum custo como água, luz, telefone, condomínio, etc. É vantagem para todos. Afinal, não é aluguel, é compartilhamento”, comenta.

A plataforma traz a proposta de ser acessível e sem burocracia. A pessoa pode escolher o local mais adequado para a sua atividade, a região na qual necessita trabalhar e o período que pretende reservar. Depois disso, é só realizar o pagamento, por meio de cartão de crédito ou boleto. Não tem burocracia, pedidos de caução ou realização de contratos em cartório. Para isso, os proprietários que desejem compartilhar e rentabilizar seus espaços devem cadastrar o imóvel ou parte dele na plataforma, que já conta com cadastro gratuito.  

Economia criativa, colaborativa e digital

Se muitos proprietários viram contratos de locação serem cancelados por conta da paralisação de vários serviços considerados não essenciais pelos órgãos de saúde, a saída é explorar os recursos disponíveis, de acordo com a consultoria Driven CX. 

Um dos grandes dos recursos para os empresários é, exatamente, o espaço que possuem. Uma sala, uma bancada, um escritório que podem ser utilizados por outros profissionais dispostos a pagar por hora, dia, semana ou mês.

Neste momento, identificar alternativas, explorar os recursos existentes e estar acessível de forma colaborativa são fundamentais para driblar a crise, segundo o diretor comercial da Dooplace. ”É uma questão de adaptação. Otimizar os espaços e torná-los acessíveis a outros profissionais é um grande passo na redução de custos, já que esses valores se diluem nas reservas realizadas ao longo do mês, permitindo o investimento em outras áreas prioritárias para a recuperação e competitividade do negócio”, explica.

Conheça a Dooplace: www.dooplace.com.br