Bon Vivant Cultura Educação Novidades

Férias de Julho são oportunidade de jovens fortalecerem currículo

Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, usar o período das férias para fazer um intercâmbio é estratégia de sucesso

O mês de julho está chegando e com ele vêm as tão sonhadas férias escolares. Entretanto, uma pergunta que quase todos os estudantes fazem depois da euforia por ter mais semanas sobrando é: “O que eu vou fazer com esse tempo livre?”.

Foi justamente o que pensou Lucas Barreto, estudante de psicologia de 21 anos, que aproveitou o espaço vazio na agenda para fazer algo que julga bastante necessário: incorporar uma nova vivência no currículo. Em um mercado de trabalho altamente competitivo, onde toda e qualquer experiência a mais se torna um diferencial, usar esse tempo disponível para investir em formação pessoal e profissional é a opção mais certeira.

Lucas vai fazer em julho, um intercâmbio para a Argentina como modo de ampliar sua formação por meio da AIESEC, ONG que visa o desenvolvimento de liderança jovem e a cooperação em diversos países.

“Vejo que essa experiência será uma oportunidade de utilizar os conhecimentos que já possuo sobre o ramo da psicologia infantil, além de me fazer entrar em contato com outra realidade social”, completa.

Pensando na mesma estratégia de Lucas, a jovem de 21 anos, Maya Kusakawa colheu bons frutos após a escolha de fazer um intercâmbio pela AIESEC. A estudante que viajou para Lisboa, em Portugal, atualmente trabalha na área de Sales Information de uma multinacional. “Na procura por estágio, os recrutadores esperam muito de nossas habilidades, mesmo que não haja experiências prévias. Um intercâmbio, nesse sentido, é relevante para nos introduzir no mundo do trabalho”, finaliza Maya.

Além da prática profissional, estes intercâmbios proporcionam uma sólida formação humana, que torna a experiência muito mais rica tanto para os intercambistas, quanto para as instituições nas quais eles irão atuar. A Diretora de Relações Públicas da AIESEC Brasil, Gabriela Toso, reforça: “Os intercâmbios proporcionam ao estudante a oportunidade de sair da sua zona de conforto, desenvolvendo a resiliência e a capacidade de ser orientado à solução. Toda essa habilidade de se reinventar é muito útil no mercado de trabalho”.