Gestão e Negócios Mundo Empresarial Novidades

Ferramenta gratuita ajuda o RH das empresas no diagnóstico para tomada de decisão sobre investimentos em T&D

Criada pelo Grupo Bridge, a nova ferramenta auxilia o RH em T&D (Treinamento e Desenvolvimento) na descoberta das reais necessidades das empresas para investir onde realmente fará a diferença para os resultados do negócio.

“Será que o novo diretor é um líder estratégico? A empresa está mudando, mas os colaboradores estão acompanhando? A última pesquisa de clima apontou insatisfação dos colaboradores com o perfil de liderança. E agora?” Essas e outras questões estão na ferramenta RH CHECKUP, novo lançamento do Grupo Bridge, consultoria especializada em desenvolvimento humano em ambientes corporativos, que soma 24 anos de experiência na aplicação de diferentes práticas em corporações brasileiras e multinacionais. Celso Braga, sócio-diretor do Grupo Bridge, percebeu ao longo dos anos em treinamentos, com mais de 70 mil colaboradores e mais de 40 mil líderes, que avaliar ou medir sem compromisso a temperatura dos colaboradores pode ser um primeiro e importante passo no foco de iniciativas de T&D, tanto em relação a investimento financeiro, quanto em energia.  “Criamos o RH CHECKUP, para permitir que os gestores de recursos humanos reflitam sobre o momento atual da empresa e evitem investimento de tempo e dinheiro em treinamentos que nem sempre são adequados”, explica o executivo.

O RH CHECKUP, desenvolvido para os profissionais de áreas de RH com foco em Treinamento & Desenvolvimento ou correlatos de acordo com a nomenclatura de cada empresa –  como DHO (Desenvolvimento Humano e Organizacional), Gestão de Gente, Gestão de Talentos, Capital Humano etc – proporciona aos gerentes, coordenadores, analistas ou Business Partners de RH, um diagnóstico da realidade atual. É gratuito e simples de aplicar. Uma pesquisa com perguntas no formato múltipla escolha pode ser acessada no link http://bit.ly/rhcheckup e, após finalizado, em 24 horas, a equipe do Grupo Bridge encaminha o diagnóstico com dicas para o RH acertar a melhor estratégia. “´Fazemos um assessment, pois percebemos que muitos gestores de RH se perguntam por que investem e dedicam tanto tempo e energia em várias ações de treinamento, capacitação, desenvolvimento e não alcançam os resultados desejados. A etapa de diagnóstico evita o retrabalho, direciona o foco nas reais necessidades e permite conhecer com mais eficiência e critério as pessoas, afinal a investigação e o planejamento devem anteceder sempre a ação,” explica Braga.

Pesquisa com líderes de RH

Pesquisa realizada com os clientes do Grupo Bridge, nos últimos quatro anos, perguntou a líderes e especialistas das áreas de Treinamento & Desenvolvimento qual o principal atributo esperado em um parceiro ou fornecedor de soluções em desenvolvimento humano. Em outras palavras, a pesquisa perguntou qual a principal habilidade que, talvez por não ter internamente, é importante garantir externamente através de um parceiro contratado. Dentre as opções de respostas haviam 12 importantes características ou atributos, como ‘Boa Capacitação’ e uma ‘Metodologia Especializada’. Em primeiro lugar, com 45%, ficou o atributo ‘Capacidade de Leitura de Cenário para Diagnóstico’.

Isto tem a ver não apenas com a capacidade técnica do consultor externo, mas com a diferença por seu olhar ser “estrangeiro”, de quem não está dentro do problema, nem com um possível olhar viciado que impede enxergar por uma perspectiva mais panorâmica. A pesquisa foi realizada num universo de 30 diferentes empresas, com 74 gestores ou pessoas estratégicas de RH. Em segundo lugar, com 25% das respostas ficou a ‘Capacidade de Gerar Impacto nos Resultados dos Negócios’.  “Claro que, no final, todos querem alcançar resultados positivos para os negócios.

Porém, para isto, sabem que a principal ajuda externa de que precisam é um parceiro que enxergue o que talvez ele, sozinho, não consiga – leitura de cenário. Se não dedicar a energia necessária neste diagnóstico, o resultado para o negócio não vem. Porque vão investir pesado em treinamento, desenvolvimento e capacitação, mas no lugar errado. É como um trem correndo em velocidade máxima, mas na direção ou sentido errados”, explica Jorge Barros, gerente de marketing do Grupo Bridge.