Cultura Últimas

Histórias que eu gosto de contar: novo livro infantil de Cléo Busatto aborda narrativas populares

A escritora Cléo Busatto, um dos grandes nomes da literatura nacional para crianças e jovens, aposta em assuntos que fazem parte do imaginário delas em seu novo livro: a valorização do herói e da complexidade da alma humana. Estes são os temas que norteiam os sete contos do Histórias que eu gosto de contar. A coletânea traz narrativas originárias da literatura oral de diversos povos e diferentes origens.

“O projeto Histórias que eu gosto de contar permite a consciência e aceitação do acervo mito-poético de diferentes povos, do olhar transcultural que perpassa suas criações e promovem uma cultura de paz. A escolha por contos populares reforça a ideia da literatura como um espaço de prazer e crescimento pessoal”, explica Cléo.

Como contadora de histórias, Cléo privilegiou contos desconhecidos das crianças para colaborar com a construção de conhecimento sobre a literatura universal. “Outro objetivo do projeto é agregar forças aos movimentos que promovem a produção e promoção do texto literário. Quem ama e se dedica para a literatura está ciente da importância dela na formação do sujeito. A escolha dos contos sensibiliza o sujeito para a leitura de si e do mundo e promove a ampliação da consciência pessoal pelos conceitos de multiplicidade cultural e alteridade”, avalia.

Para a autora, a literatura é um meio importante na abordagem dos valores mais positivos a serem perseguidos pelos seres humanos. Questões atuais, como o bullying, a adoção, as relações familiares e os relacionamentos sociais são apresentados nas narrativas literárias. “As narrativas colaboram para promover a reflexão e a compreensão de valores como a lealdade, a confiança e a solidariedade. Mostram, enfim, no exemplo do herói, que é possível construir uma sociedade com pessoas mais justas, proativas e verdadeiras. À medida que apresentamos à criança argumentos poéticos que desestabilizam a crença de um único olhar do homem para si, para o outro e para o mundo, contribuímos também para uma educação pela paz”, finaliza.

O projeto de produção do livro literário, realizado com recursos da Lei do Mecenato da Fundação Cultural de Curitiba, está apoiado na edição dos contos da literatura universal, herdada da tradição de narrativas populares: As oito fadas (Coréia do Norte), Flor da Lua (Japão), Elal, o criador dos Tehuelches (Argentina),  Kintu e Nambi (Uganda), O gigante que não podia morrer(Brasil), Paulino, o destemido (Itália) e Os sete corvos (Alemanha). Além do livro, duas oficinas de formação de contadores de histórias para 70 pessoas integraram o projeto. A capacitação foi realizada para mediadores de leitura da Secretaria Municipal da Educação e Fundação Cultural de Curitiba.

SERVIÇO

Lançamentos em São Paulo e Curitiba
Histórias que eu gosto de contar de Cléo Busatto

São Paulo: Pátio Higienópolis – Avenida Higienópolis, 618, Higienópolis, São Paulo
Quando: 18 de agosto, às 15h

Curitiba: Pátio Batel – Avenida do Batel, 1868, Batel, Curitiba
Quando: 25 de agosto, às 15h

Mais informações em www.cleobusatto.com.br