Mundo Empresarial

Indústrias que adaptaram produção em ocasião da Covid-19 retomam atividades normais

Paranaense Isoflex produziu itens para o combate à Covid-19 por cinco meses. Agora, retoma fabricação de produtos para gestão visual, mas incorporando também ao seu portfólio quadros para home office

Carolina Hartmann na Isoflex. Empresa que fabricou face shields durante ápice da pandemia, volta a produzir itens para organização de indústrias e material de escritório.

O atípico ano de 2020 fez com que muitas empresas tomassem direções diferentes em relação ao seu planejamento. Porém, com a retomada das atividades em vários setores, as “expectativas” voltam à pauta e os aprendizados adquiridos nos períodos difíceis tornam-se parte estratégica para os próximos passos. 

É o que aconteceu com a empresa paranaense de solução em gestão visual e materiais para escritórios Isoflex, que vinha em franca expansão no final de 2019, comemorando a parceria com várias gigantes do mercado do varejo, como a Kalunga, para a venda de seus produtos.

A diretora de marketing Carolina Wolfart Hartmann lembra que era grande a perspectiva para 2020, mas, com a pandemia da Covid-19, a empresa teve uma queda no seu faturamento regular e precisou tomar medidas pontuais para contornar o momento instável. “Tivemos que adaptar nossa produção e encontrar produtos que pudessem ser úteis no combate à pandemia. Começamos então a produzir escudos faciais, quadros de beira de leito e displays que foram muito utilizados em hospitais, por exemplo”.

Com a adaptação, a empresa recuperou boa parte do seu faturamento, o que deu um novo fôlego para a próxima guinada: o Home Office. “Essa modalidade de trabalho ganhou força em 2020 e por isso voltamos a nossa produção normal neste primeiro momento investindo no desenvolvimento e na fabricação de produtos voltados a gestão visual do trabalho em casa, como quadros profissionais, tipo o moppy flex, e organizadores de mesa”, complementa a diretora. 

Mudanças que vieram pra ficar

Além dos quadros para home office, outras mudanças realizadas durante a pandemia vieram para ficar na Isoflex. Segundo a executiva, o ecossistema comercial e de marketing foi um deles, com a rápida resposta às adaptações de produtos, linha de produção e novos métodos e canais de atendimento ao cliente.

“As mudanças foram muito benéficas para o aprimoramento da empresa, tanto na prospecção de novos clientes como nas nossas políticas de trabalho internas e certamente farão a diferença daqui pra frente”, explica Carolina.

Com  a retomada das atividades em alguns setores, a empresa espera reaver o crescimento esperado. Os mercados mais promissores, segundo Carolina, são as indústria alimentícias e farmacêuticas, cujas atividades tiveram menor impacto no ano de 2020.

Outro fato fundamental é a retomada gradual das feiras de negócios, que são vitais para observar os rumos do mercado, expor novos produtos e fechar parcerias. 

“Estamos confiantes e retomamos nossas atividades normais pós-pandemia mais fortalecidos como empresa. Mesmo com o crescimento, a Isoflex segue como uma empresa familiare cada vez mais preparada para, mesmo em tempos mais difíceis – como mostrou durante a Covid, buscar as melhores soluções aos clientes”, conclui Carolina Hartmann.