Karol Estima Mundo Pet

Meu Cachorro é Manso, ele não Morde!

“Ele é manso, não vai fazer nada” escuto de alguém lá longe enquanto vejo um cão com uma postura tensa vindo solto na minha direção enquanto estou passeando com o meu cão pela calçada.

E lá vou eu mudar de calçada, uma vez que estou retreinando meu cachorro, que ficou sensível a alguns cães, depois de um ataque quase da mesma maneira, que gerou toda a insegurança dele e um dedo da minha mão direita com os ligamentos totalmente rompidos e muita dor, inclusive de cabeça!

Já perdi as contas de quantas vezes essa cena aconteceu! No ataque em questão eu estava numa praça com o Bali e vi um cão arrastando seu dono até lá, no que ele provavelmente chama de passeio. Um cão com uma postura extremamente dura (equivalente a um ser humano andando rápido na sua direção, pisando duro, com a cara fechada, e com um taco de baseball na mão), que claramente não deveria ser solto com outros cães e, depois de pedir para o moço aguardar alguns instantes antes de soltá-lo, pois eu ja estava de saída – coitado do Bali, sempre coloco a culpa nele, dizendo que ele não se dá bem com outros cães, quando vejo que o outro significa uma ameaça em potencial – escuto do cidadão: deixa que eles se entendem! E aqui estou eu há quase um ano tentando recuperar os movimentos do dedo e da mão direita toda e retreinando meu cão para me acompanhar e sair de uma situação ao invés de querer atacar o outro cão.

Depois de mais esse episódio do cão solto – na calçada, no meio da cidade! – me veio a urgência de escrever esse texto e desmitificar algumas questões em relação ao universo canino:

  1. Cães não precisam se dar bem com todos os outros cães do universo! Você provavelmente tem alguém de quem não vai com a cara, não gosta, detesta, prefere passar longe. Pode até ser um parente seu. Porque os cães precisam ser sociáveis com todos os outros seres da sua espécie?! Isso é MITO!
  2. Alguns cães fazem bullying com outros cães! E é SUA obrigação ensinar seu cão que ele não deve fazer isso! Montar, chegar em outro cão com uma postura ameaçadora, pêlos eriçados, rosnando, até o outro cão se subjugar e talvez urinar de insegurança, fazendo a típica pose de “cão submisso”, controlar o ambiente e não deixar que outros cães brinquem na praça…. Tudo isso – e muito mais – é bullying! Fora do Brasil existem livros de “boas maneiras para cães em praças e outros ambientes públicos. Será que um dia essa cultura vai chegar até aqui?
  3. Não, seu cão NÃO tem o direito de cheirar e interagir com todo e qualquer cão que ele encontrar na rua – por mais sociável que ele seja! O outro cão pode ser tímido, inseguro, agressivo, e pode estar em treino para reestruturar esses sentimentos. E o seu cão ir até lá pode estragar todo o treino desse outro cão! Mesmo que ele queira apenas cheirar o coleguinha! Alguns cães não estão preparados para serem cheirados, e eles têm o direito de andar na rua assim como qualquer outro cão!
  4. Nem sempre o cão que dá a primeira mordida está errado! Principalmente se ele estiver se defendendo de um cão abusivo – que é o que acontece com frequência. Dizem que os cães pequenos são os mais enfezadinhos, e com razão – mas não a razão que a maioria das pessoas acredita! Diferente dos cães grandes, os pequenos não costumam ter seu espaço pessoal ou suas emoções respeitadas. Se um Rottweiler rosnar silenciosamente mostrando os dentes, todo mundo em volta dele vai entender o recado – além do fato de que já deveriam ter entendido os recados anteriores ao rosnado, mas isso é assunto pra outro texto. Quando um Spitz Alemão rosna de medo de um outro cão grande, ou de uma pessoa estranha, ele dificilmente receberá o mesmo tratamento que o Rottweiler e ninguém vai entender que ele precisa de espaço. Quando você está na balada e tem um sujeito dançando inconvenientemente, como se a pista fosse só dele, te acertando com os pés, cotovelos, derramando a bebida dele em você, você tem a opção de conversar com ele e pedir para que ele respeite o seu espaço antes de optar por dar um murro no nariz do cidadão – e eu não estou falando que sou a favor desse tipo de atitude. Cães na guia não costumam ter essa opção de conversar antes de dar um ultimato mais certeiro de “afaste-se”.

É fato também que muitos cães não estão sabendo mais como se comunicar com outros cães, e isso dificulta ainda mais as interações. Cães retirados da mãe e dos irmãos muito cedo, não socializados durante o período adequado, que ficam trancados em casa até a última dose da vacina, entre tantas outras situações que dificultam os cães a aprenderem como ser cães e como se comunicar com outros da sua espécie.

Mas, acima de qualquer coisa, a responsabilidade é sua. Já dizia o ditado: a minha liberdade acaba onde começa a do outro. Repense a sua postura e a do seu cão e eduque-o para respeitar o espaço individual dos outros cães. O resto do mundo agradece.

 

Karol Estima, Relações Públicas, Bióloga e proprietária do Estima Adestramento.

No Portal Believe News, Karol assina coluna com textos a respeito do Mundo Pet.