Bem Estar Morar Bem

O VALOR DE TER UM LAR ACONCHEGANTE E COM PERSONALIDADE EM TEMPOS DE ISOLAMENTO

Por conta da pandemia do novo Coronavírus, a recomendação é que as pessoas permaneçam em suas casas e evitem o contato com pessoas fora dela. É a partir deste confinamento necessário e sem data determinada para acabar que observamos o quanto um lar aconchegante e com personalidade pode fazer a diferença no bem- estar físico e mental dos moradores.

Considera-se um lar aconchegante aquele em que você se sente bem e seguro, onde se tem aspectos, materiais e objetos que traduzam a personalidade dos moradores, além de funcionalidades que atendam suas necessidades. A arquitetura e a decoração de interiores podem contribuir muito para que o lar seja um local prazeroso de estar.

Para a Arquiteta Larissa Reis, o momento que estamos vivendo reforça a importância de se ter identificação com a nossa casa. “O lar é o seu templo. É onde você recarrega as suas energias e tem momentos com sua família, só esses já são grandes motivos para dar atenção a ele”, afirma. “Mas, agora que estamos trancados em casa, vemos o quanto ter um lar feito para nós, no qual nos sintamos bem e que atenda nossas necessidades – que pode ser um mini escritório para trabalhar, uma sala de TV confortável ou uma varanda com muitas plantas para se sentir mais perto da natureza – pode diminuir o mal-estar e o sofrimento que o confinamento causa”, acrescenta.

Ainda, segundo ela, uma casa sem vida pode se transformar  em um refúgio maravilhoso com um bom projeto, quando o espaço é aproveitado da melhor forma e se tem boas soluções para os moradores – seja um casal jovem que deseja uma sala integrada com a cozinha para receber os amigos, ou um casal com filhos que precisa de um quarto que caiba duas camas, espaço de brincar e mesa para estudos. “Nossa missão como profissionais é entender o que se adequa às necessidades e personalidade dos habitantes da casa, considerar as limitações e oferecer as melhores soluções que vão desde as orientações de qual é a melhor cor para cada parede, tamanho de móveis adequados para o cômodo, até a criação de soluções de mobiliário planejado, além de pensar a iluminação certa para cada ambiente e outras possibilidades para fazer do lar o melhor que ele puder ser.

A Arquiteta ressalta que este lar dos sonhos não é sinônimo de uma grande casa, de peças caras ou reformas pesadas. “O importante é que a casa, independente do tamanho, das peças, materiais usados etc., atenda às necessidades funcionais para o contexto e que revele a personalidade e história de seus moradores.