Mundo Empresarial Novidades

Pesquisa revela 6 curiosidades sobre a revenda de ingressos no Brasil

A revenda de ingressos para shows e festivais é uma realidade bastante difundida no Brasil e, para entender como os brasileiros se comportam em relação aos seus ingressos, a StubHub, maior plataforma de compra e venda de ingressos do mundo, realizou, em parceria com o Ibope Inteligência, uma pesquisa com 1.000 entrevistados de todas as partes do país. 60% deles compraram ingressos para um a três eventos entre abril de 2016 e abril de 2017. Outros 24% compraram ingressos para quatro a seis eventos e os 16% restantes compraram mais de seis ingressos de eventos ao longo do ano. Confira os principais achados:

 

43% já compraram ingressos para um evento e não puderam comparecer

 A porcentagem é ainda maior entre o público jovem, chegando a 50% na faixa de entrevistados de 25 a 34 anos. Destes, 27% revenderam seus ingressos, 47% os doaram e 23% não fizeram nada, o que levou o ingresso a ser perdido. “É muito comum que a venda de ingressos para um evento seja anunciada com muitos meses de antecedência. Neste período, compradores podem ter imprevistos que os impeçam de comparecer, e é importante que tenham autonomia em relação ao que fazer com estes ingressos. 23% de ingressos perdidos representam um prejuízo grande para os compradores e assentos vazios para a casa de shows”, afirma Daniela Marques, Gerente de Relações Públicas da StubHub no Brasil.

 

83% já compraram ingressos de outra pessoa

 Destes, 58% compraram o ingresso pessoalmente – de conhecidos, vendedores conhecidos na internet ou na revenda de rua, potencialmente sem segurança na transação – e 45% online. De acordo com Daniela, “A proposta da StubHub é garantir aos fãs um acesso seguro e despreocupado aos seus eventos preferidos. Por meio da nossa plataforma, mediamos a relação entre compradores e vendedores para minimizar riscos e fraudes que possam ocorrer em ambientes menos seguros, como o cambismo de rua”.

32% dos entrevistados procuram alternativas para comprar eventos esgotados

 No Brasil é comum que grandes artistas internacionais tenham seus ingressos esgotados rapidamente, o que leva muitos fãs a procurarem alternativas para a compra conforme o evento se aproxima. A internet – sobretudo por meio de redes sociais e plataformas de compra e venda – é o principal espaço em que compradores buscam essas alternativas.

76% querem ter autonomia em relação a como revender seus ingressos

 O sentido de propriedade é forte: além da autonomia sobre a revenda, 71% dos entrevistados acredita que, ao comprar um ingresso, ele se torna propriedade do comprador, que deve poder, portanto, fazer o que quiser com ele. 67% acreditam que o vendedor deve ser livre para determinar o preço do ingresso.

55% dos entrevistados comprariam mais ingressos se tivessem mais opções de revenda

 Entre o público de 25 a 34 anos, a porcentagem cresce para 62%. “Os fãs brasileiros buscam uma garantia de que não terão seu dinheiro desperdiçado, o que é importante em um cenário em que a venda primária de ingressos é anunciada, às vezes, com mais de um ano de antecedência”, reforça Daniela.

85% acreditam que plataformas de compra e venda online sejam as opções mais seguras para se comprar ingressos revendidos

 Há uma desconfiança em relação a ingressos disponibilizados em redes sociais e na revenda de rua, considerados seguros apenas por 17% e 20% dos entrevistados respectivamente.

Sobre a pesquisa

A pesquisa é uma realização do Ibope Inteligência encomendada pela StubHub para avaliar o comportamento dos brasileiros em relação à revenda de ingressos para eventos culturais no Brasil. O estudo foi feito entre 17 e 27 de abril de 2017 com 1.000 internautas brasileiros de mais de 16 anos que tivessem comprado ingressos para eventos nos últimos doze meses. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais.