Doutor Carreira Últimas

Por que as mulheres executivas se divorciam mais!

Ser feliz no trabalho e no amor é meta de muitas pessoas – e de muitas mulheres também!

Sabemos que não costuma ser fácil dar conta do papel de mãe, esposa, executiva, filha e irmã ao mesmo tempo – será que é por isso que as pesquisas indicam que as mulheres executivas se divorciam mais do as que não trabalham  fora?

Estudo recente realizado pela Universidade de Estocolmo, na Suécia, analisou a vida de homens e mulheres heterossexuais que trabalham para empresas privadas com 100 ou mais funcionários e descobriu que as mulheres casadas têm 2 vezes mais chances de se divorciar 3 anos após sua promoção ao cargo de CEO em comparação aos homens. No Setor Público, usando 3 décadas de registros, prefeitas e parlamentares promovidas após uma eleição dobraram suas chances de se separar de seus parceiros – 75% delas ainda estavam casadas ​8 anos depois em comparação com 85% das que não foram promovidas (não há evidências de efeito semelhante para os homens).

Médicas, policiais e sacerdotes que progridem em suas carreiras profissionais também seguem esta tendência.

A verdade é que quanto melhor você for no seu trabalho, maior a chance de se divorciar, por isso a dica é estar atento e cuidar da pessoa que está ao seu lado. Casais que são mais próximos e adotam uma abordagem mais igualitária para cuidar dos filhos, por exemplo, estão menos propensos a se divorciar após a promoção da esposa…

Os aspectos práticos de ser uma CEO como viagens frequentes, longas horas de trabalho e pressões das mais diversas podem causar dificuldades para os parceiros destas mulheres, e isso mesmo que o casal não tenha filhos. O estudo também afirma que também é uma questão de poder, de quem ganha mais dinheiro. Os homens ainda têm dificuldade para lidar com isso…

Então, como as mulheres que buscam os melhores empregos podem mitigar suas chances de entrar em um relacionamento que se desestabiliza quando alcançam o topo da carreira?

A pesquisa dá algumas dicas – ela indica, por exemplo, que os divórcios após as promoções são mais prováveis ​​em casais em que a esposa é mais jovem que o marido. Ter uma perspectiva de longo prazo, com planos e metas bem estabelecidas, também pode ajudar.

Por outro lado, o divórcio nem sempre é uma coisa ruim… O alto nível de participação feminina na força de trabalho e a possibilidade da guarda compartilhada dos filhos após a separação facilitam para os divorciados saíram de relações que não são mais positivas.

Os dados do estudo sugerem, também, que as mulheres que se divorciam depois de obter promoções têm menos probabilidade de se casar novamente ou ter um relacionamento sério do que os homens.

Até a próxima coluna!