Mundo Empresarial

Programa capacita oficinas de imigrantes latino-americanos para a produção de máscaras em larga escala e seguindo normativas

Tecendo Sonhos reuniu entidades como ABNT e Anvisa para apoiar o setor com informações técnicas; rede de oficinas tem capacidade para produzir 33 mil máscaras por dia

Com o suporte do Programa Tecendo Sonhos, da Aliança Empreendedora, uma rede de 37 oficinas de São Paulo, formadas por imigrantes latino-americanos – da Bolívia e Chile –, se preparam para o “novo normal”, a partir da pandemia da Covid-19.  Se de um lado, devido às medidas de isolamento social, tiveram suas demandas suspensas pelas empresas da cadeia, agravando uma situação econômica já muito delicada. Do outro lado, foram surpreendidas com uma nova demanda: a confecção de máscaras de uso não profissional.  

Em condições de trabalho dignas, esse coletivo que envolve cerca de 165 imigrantes, tem capacidade diária para produzir aproximadamente 33.000 máscaras de TNT descartável de proteção. O primeiro passo foi buscar informações técnicas para a produção correta dessas máscaras, destinadas a um mercado em larga escala.

Nesse contexto, o programa Tecendo Sonhos reuniu organizações normativas para coletar informações técnicas e levar uma orientação correta sobre a produção de máscaras. Participaram do grupo: Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), Associação Brasileira Das Indústrias De Não Tecidos E Tecidos Técnicos (Abint) Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit), Centro de Vigilância Sanitária (CVS) e Estilistas Brasileiros. Foram realizadas diversas ações e pesquisas para que o conteúdo discutido entre as entidades chegasse ao público final de forma didática e correta, como uma live que abordou as diferenças na produção de máscaras cirúrgicas e máscaras de uso não profissional.

.

“Devemos unir forças nestes momentos de crise. Ninguém é uma ilha. Mais cabeças pensando em uma solução é melhor”, afirma Maria Adelina Pereira, integrante da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

As informações reunidas resultaram em uma capacitação on-line e gratuita. O material está sendo encaminhado para as oficinas e pode também ser acessado pelo link. Inicialmente são três conteúdos em espanhol (língua da maioria dos imigrantes): Orientações para a confecção de máscaras, Oportunidades para quem trabalha com costura durante a pandemia e Cuidados com a higiene. Além disso, encontros virtuais entre essas instituições e oficinas, estão sendo realizados mensalmente. Todo material pode ser acessado gratuitamente na plataforma www.tecendosonhos.org.br.

“É de enorme importância desenvolver conteúdo acessível e didático para os microempreendedores e organizações que trabalham com esta produção. Informação é o caminho, é a ferramenta. Ações como a live discutem informações que muitas vezes ficam difíceis de entender em um documento como uma norma”, afirma Pereira.

Grandes marcas buscam o projeto 

“Estamos diante de uma demanda de mercado enorme. As grandes empresas estão retornando ao trabalho e vão precisar oferecer máscaras para seus colaboradores. Grandes marcas, já nos procuraram, buscando indicação de oficinas de costura para a confecção de máscaras”, explica Cristina Filizzola, diretora da filial São Paulo da Aliança Empreendedora e responsável pelo projeto Tecendo Sonho.

“Como a demanda produtiva é elevada, criamos um grupo de trabalho para distribuir a produção entre as oficinas”, explica Cristina. Atualmente as 37 oficinas vinculadas ao programa trabalham de forma independente, mas com esta nova demanda de produção se uniram em um grupo associativo para comercializarem juntas, intitulado Rede Costurando Sonhos.