Educação Novidades

Psicopedagoga orienta como pais e professores devem agir diante do vírus Covid-19

Diante de uma pandemia declarada no mundo inteiro, o Covid-19 tem mudado a rotina de todos. Apesar de crianças não fazerem parte do grupo de risco do vírus, elas têm um grande potencial transmissor. Pensando nisso, a psicopedagoga e mestre em educação Ana Regina Caminha Braga deu algumas dicas de como os pais e professores devem orientar as crianças nesse momento.

A dica principal é: evitar o pânico. Ana Regina afirma que apesar da gravidade da situação, manter a calma é essencial, o ideal para esse momento é reforçar a higienização das mãos e evitar ao máximo aglomeração. “As crianças se espelham sempre nos mais velhos. Então nesse momento os pais devem manter a calma e adotar as medidas recomendadas e evitar frequentar locais de grande circulação de pessoas”, afirma a psicopedagoga.
 
Caso o seu filho ou a criança pela qual você é responsável apresente sintomas de gripe comum, o ideal é que permaneça em casa, afinal os sintomas do Covid-19 são bastante semelhantes aos da gripe. A medida deve ser adotada com o objetivo de impedir a proliferação de novos casos.

As crianças devem evitar ficar com pessoas da melhor idade (avós), pessoas do grupo de risco, pois são grandes transmissores do vírus.


Ana Regina Caminha Braga
Foto: Priscilla Fiedler

Também é preciso salientar a importância de manter os ambientes limpos e arejados.


Como ensinar a higienização para as crianças?


Segundo Ana Regina Caminha Braga os pais devem ensinar de forma lúdica, contando a história do vírus e até mesmo com música. “Uma dica é cantar uma música infantil enquanto a criança lava as mãos, dessa forma a higiene é realizada corretamente e o resultado final são mãos devidamente limpas.”

Outra dica importante é higienizar as telas que a criança utiliza, como computadores, tablets e celulares. “Os pais podem ensinar também que os vírus estão em todos os lugares, colocar um paninho com álcool para que a criança higienize suas telas é de grande importância. Dessa forma a criança mantém seus aparelhos limpos e cria mais consciência sobre a importância da higienização para combater o vírus.” complementa Ana Regina.

Para a psicopedagoga, se todos seguirem as orientações recomendadas, estarão colaborando com a sociedade para que o vírus não se prolifere cada vez mais.