Bem Estar Novidades Reintegrando uma vida

Reconhecendo e integrando minha vida

O início de tudo…

                “Manchete dos jornais do dia 28 de janeiro de 1995: Desabamento de edifício no litoral do Paraná tem 29 mortes…”

Durante minha trajetória, após uma reviravolta em minha vida, quando sobrevivi, aos 19 anos de idade, a um infausto acidente onde perdi  minha família e  lutei pela minha vida, ganhei  a oportunidade de  sentir e abrir a minha mente para perceber de como minhas escolhas construíram e constroem meu propósito de vida.

Para que eu pudesse me refazer física e emocionalmente um grande pedido interno por mudança me banhou, e, quando percebi que a escolha para eu continuar nessa vida só dependia de reconhecer que uma luz ainda brilhava dentro de mim e que, se eu a olhasse e permitisse ser essa luz, eu estaria compondo um novo propósito de vida. Assim, eu descobri  o que é a autorresponsabilidade.

Ao escolher, internamente, algo diferente da vitimização e da dor, uma grande porta se abriu e pude agir em alinhamento com minha mente, coração e com  meu corpo, confiando no que o universo estava me propondo. Isso me trouxe uma possibilidade diferente e ainda algo a mais, minha melhora e pronta recuperação física. Minha força interior se fez e pude incorporar minha nova vida. Quando percebi que minha vida estava salva e minhas pernas não me foram retiradas, eu pude, metaforicamente, remetê-las a minha autoafirmação ou minha autossustentação em relação ao meu modo de encarar a vida. Eu ainda fazia parte deste mundo aqui na Terra e se aqui fiquei, honrarei esse presente.

Cada dia se tornou um presente, assim como, todas as situações e pessoas que passaram ou ainda estão presentes na  minha vida. É claro que, em muitos destes momentos, existiram obstáculos dos quais me impediram de voar mais alto. Hoje, percebo que nestes momentos eu estava agindo de mãos dadas ao medo e aos pensamentos limitantes, ou melhor, agindo com  meus limites mais íntimos.

 Nessa evolução, sem volta, vejo que meus desafios viraram meus maiores aliados, a percepção sobre o que estava ou está errado comigo ou aquilo que eu não me integrava ou não me integra, de certa forma, estavam ou estão provocando  uma atenção a  estas situações ou maneira de viver , pedindo ou convidando para uma nova escolha, uma resignificação. Reconhecer minha natureza me tornou e, ainda me torna, mais humana e amorosa comigo mesma e com os outros.

Ainda, para agregar todas estas percepções, eu me aliei à fé. A fé me mostrou uma força instintiva da minha alma, a qual me mostrou possibilidades transcendentes e poderes infinitos.

 Hoje, olhando para todo esse caminho me reconheço mais ativa e com maior liberdade.

Sobre Polliana Pundek Branco

Arquiteta de formação e, atualmente, terapeuta energética e facilitadora do jogo  Miracle Choice, Polliana Pundek Branco,  viveu uma marcante tragédia registrada no litoral do Paraná em 1995. Ela sobreviveu ao desabamento do edifício Atlântico onde, também, perdeu seus pais e irmão. Um novo ciclo se iniciou aos 19 anos de idade, quando lutou pela sua recuperação e depois, pela busca de um novo propósito de vida.