Bem Estar Educação Novidades Saúde

Semana da prematuridade tem programação especial no HNSG

Pais vão ter a oportunidade de conversar sobre temas relacionados aos prematuros e serão surpreendidos com os bebês vestidos de super-heróis.

O Dia Mundial da Prematuridade, 17 de novembro, foi criado para chamar à atenção de mais de 30 milhões de nascimentos que ocorrem todos os anos no mundo, antes das mães completarem 37 semanas de gravidez.

No Paraná, segundo dados da Secretaria de Saúde, até novembro desse ano, nasceram 123.249 bebês, sendo 13.040 prematuros, o que representa 11% do número de nascimentos no Estado.

Para reforçar a data, o Hospital Nossa Senhora das Graças, promove nos dia 11 a 14 de novembro, a Semana do Prematuro. Será um momento para que os pais de bebês que nasceram antes do tempo, internados na UTI Neonatal da Hospital, possam conversar e se informar sobre diversos temas, acompanhados por profissionais da área médica e psicologia.

Entre os temas escolhidos para a semana estão a visão da osteopatia na prevenção e nos cuidados com o recém-nascido prematuro, a afetividade e o vínculo da mãe e bebê na prematuridade, vacinação, acompanhamento ambulatorial da criança prematura e o cuidado do bebê prematuro no ambiente domiciliar.

Durante a semana, os pais também vão ter um momento especial com seus bebês. A equipe da UTI neonatal vai vesti-los com roupinhas de super-heróis, preparadas especialmente para reforçar a importância da data e alegrar o ambiente da UTI Neonatal.

Causas da prematuridade

Segundo a pediatra e chefe da UTI Neonatal do HNSG, Dra. Eliana Branco, vários fatores podem estar relacionados com o nascimento prematuro. “Temos muitas gestações in vitro e por inseminação, então temos mais nascimentos gemilares, que são geralmente crianças que nascem prematuras. Outro fator que aumentou bastante o número de nascimento precoce está relacionado com a idade materna, porque hoje as mulheres têm filhos um pouco mais tarde, então as gestações podem ser mais complicadas, principalmente relacionadas com quadros graves de hipertensão arterial, que acabam gerando bebês prematuros”, explica a médica.

Além da hipertensão, doenças como diabetes podem contribuir para um parto precoce. A alimentação errada, estresse e a prática de atividades físicas sem acompanhamento médico, também, são fatores de risco para um nascimento prematuro do bebê. Além disso, é necessário que o pré-natal seja iniciado o quanto antes para que a gestante aprenda a reconhecer sinais de um parto antecipado.

Avanços na medicina

Avanços na medicina tem possibilitado que a grande maioria dos bebês prematuros consigam se desenvolver e crescer com saúde.  Entre os avanços, estão as medicações para a parte pulmonar do bebê, a nutrição parenteral que mantêm os bebês mais nutridos, equipamentos como incubadoras e respiradores apropriados para prematuros. “Hoje, a partir de 24 semanas, o prematuro já tem chance de sobreviver”, afirma a médica. Mas o ideal, segundo a especialista, para que não haja sequelas para o prematuro, é que o nascimento seja acima de 27 semanas.