Karol Estima Mundo Pet Novidades

Será que o Passeio está Fazendo Bem ao seu Cachorro?

Há tempos postei a tradução de um artigo sobre o excesso de exercícios físicos vigorosos na vida de um cão. Se você não leu, corre la nos destaques do Ig da EstimaÇão (@estimacaoconsultoria). E hoje me deparei com um outro vídeo sensacional sobre o assunto. O texto abaixo é resultado de estudos vindos de várias fontes, textos, livros e vídeos que andei acessando recentemente. Está (mais do que) na hora de pararmos de generalizar e dizer “cachorro precisa passear” “cachorro feliz é cachorro cansado”, e por aí vai…….

Nem todo cachorro é qualificado para passeios diários. (Passeadores, por favor, não me odeiem por trazer verdades)

Se você tem um cão saudável, “fit”, SOCIÁVEL, e que sabe lidar de maneira positiva com todos os diferentes estímulos do ambiente externo (barulhos, automóveis, pessoas, outros cães, etc), então o seu cão está apto a fazer estes passeios diários.

Se o seu cão tem alguma doença, já é um cão de mais idade, apresenta alguma limitação física, ou tem algum problema psicológico que o faz não conseguir lidar bem com os estímulos encontrados na rua, então os passeios diários não são para ele.

O cortisol, que é o hormônio do estresse, pode levar 72 horas ou mais para ter seus níveis de volta à normalidade depois que o organismo passa por uma situação estressante.

Para alguns cães, o passeio é mais um motivo de estresse do que de diversão.Para estes cães, levá-los para passear 3, 4 vezes por semana, ou mais, significa que os níveis de cortisol no organismo dele ainda não voltaram ao normal, e lá está o cão sendo exposto a uma situação estressante novamente, e lá vem mais cortisol. Isso não faz bem nem física nem mentalmente para um organismo.

Um animal dentro de um quadro de estresse crônico pode adoecer com mais facilidade, tem sua pressão arterial e frequência cardíaca elevadas, e seus sistema imunológico fica debilitado, resultando em outros tantos problemas de saúde. No caso dos cães eles podem apresentar ainda hiperatividade, irritabilidade e latidos excessivos.

Não é o fim do mundo se o seu cão não sai para passear diariamente. Se o seu cachorro passeia todos os dias e fica bem, então ótimo. Mas se ele fica estressado com alguma coisa, então é melhor repensar esta atividade e gastar a energia do seu cão de outras formas.

Exemplo real: eu tenho um cachorro com uma ansiedade “fora da casinha”, além de uma dificuldade enorme de lidar com cães desconhecidos na rua. Ao longo do tempo, com muita observação, erro e acerto, percebi que o comportamento dele piorava com quatro a cinco passeios por semana. Hoje, passeamos no máximo três vezes por semana e ele está muito bem assim. Além dos passeios costumo levá-lo para andar de carro, onde ele aparentemente se sente mais seguro e relaxado do que estando na rua.

Em tempo, embora agora não esteja falando de passeios propriamente ditos, tive uma parcela considerável de alunos (caninos) que melhoraram seu comportamento – e até pararam de apresentar doenças típicas de problema de baixa imunidade – quando tiveram o número de idas à creche reduzido. Quem trabalha BEM com cães em creche sabe que nem todo cachorro deve frequenta-las o maior numero de vezes que seu bolso pode permitir. Na verdade, cada cachorro tem um limite totalmente diferente do outro em relação ao que é bom e o que não é para ele em termos de estimulação.

E como saber se os passeios diários estão fazendo bem ou não para o seu cachorro? Como saber se meu cachorro está sendo superestimulado? Daí já é assunto para outro post. E se você precisar de ajuda de um profissional para avaliar o nível do bem-estar do seu cachorro, a EstimaÇão está aqui para te ajudar.

Karol Estima, Relações Públicas, Bióloga e proprietária do Estima Adestramento.

No Portal Believe News, Karol assina coluna com textos a respeito do Mundo Pet.