Cultura

Shopping entrega cestas básicas, ração e roupas a ONGs

Ação solidária fez parte da campanha de fim de ano do Shopping Curitiba

Solidariedade foi a palavra-chave da campanha de fim de ano do Shopping Curitiba. Como resultado, mais de 230 cestas básicas, 2.700 itens de vestuário e 720 quilos de ração foram entregues às ONGs Afece e Amigo Animal. Para chegar a esse resultado, diversas ações de doações aconteceram, como árvores solidárias, QR Codes solidários e a Boa Loja, um espaço montado especialmente para a arrecadação dos donativos.

As doações partiram de clientes, lojistas e funcionários do shopping. “Criamos uma corrente do bem aqui dentro, com todos engajados e ajudando como podiam. Ficamos felizes em contribuir com a sociedade e certamente em 2021 seguiremos firmes nesse movimento de solidariedade”, afirma Luciano Abe, superintendente do Shopping Curitiba.  

.

As cestas e as peças de roupas foram destinadas à Associação Franciscana de Educação ao Cidadão Especial (Afece), que presta assistência para 231 pessoas de diferentes idades, que possuem algum tipo de deficiência. Os custos para oferecer a assistência social, educação, alimentação e saúde são altos, mas a Afece conseguiu driblar as adversidades da pandemia e manter todas as atividades em pleno funcionamento.

“Nos desdobramos em 2020 para mudar nossas estratégias de captação de recursos, já que boa parte de nossa renda resultava de eventos sociais na nossa sede. Especialmente no ano que passou, a solidariedade fez a diferença e contamos com o apoio dos nossos parceiros. O Shopping Curitiba foi um deles. A Boa Loja se tornou um posto de arrecadação de uma diversidade de produtos que foram doados para a entidade”, diz Maíra de Oliveira, diretora geral da Afece. O shopping continua recebendo doações para a Afece na Boa Loja (piso L1), das 13h às 18h,  ou na recepção do shopping durante o horário de funcionamento do shopping.

A Amigo Animal, um abrigo que atende mais de mil cães resgatados das ruas, recebeu os 720 quilos de ração. Por conta da pandemia, a fonte de renda da ONG foi prejudicada, que era a realização de bingos mensais, bazares e a venda de produtos. “Graças a ações como a do Shopping Curitiba, conseguimos dar continuidade aos atendimentos dos animais que precisam”, detalha Gabriel Schlean, coordenador de Voluntariado da ONG.