Mundo Empresarial Saúde

Startup quer mudar cenário de saúde e bem-estar no trabalho

Práticas nesse sentido aumentam performance e reduzem índice de faltas no ambiente corporativo

Diante de um RH cada vez mais preocupado com a saúde e o bem-estar de seu time e de olho nos ganhos em produtividade e alta performance de colaboradores, empresas de diversos tamanhos e segmentos têm adotado estratégias inovadoras que podem fazer a diferença nos números no final do mês.

É neste cenário que surgem os benefícios corporativos. Atrativos e muito apreciados nas corporações, eles são um diferencial para quem os oferece. Mas, ficar no mesmo e garantir somente auxílios refeição e transporte ou assistência médica não são suficientes para atender públicos cada vez mais exigentes e acompanhar a concorrência que inova.

No local onde a população, muitas vezes, passa mais tempo do que em casa, a Hisnëk, primeira e única startup a desenvolver um benefício corporativo que contempla diversos serviços de saúde e bem-estar, aparece com a intenção de oferecer uma solução inédita aos trabalhadores dispostos a mudar e melhores velhos hábitos.

Atuando em cinco pilares básicos para desempenhar o papel de agente de mudança de mindset, a healthtech oferece a seleção de itens saudáveis para o lanche da tarde, orientação nutricional com seu time de especialistas, conteúdo de saúde mental para os colaboradores, além da triagem de educadores físicos que podem auxiliar os funcionários na escolha da atividade física mais adequada para seus objetivos.

Para o psicólogo e especialista em mudança comportamental, Ron Friedman, também autor de diversos artigos publicados pela revista Harvard Business Review, “os impactos de uma má alimentação podem atingir em cheio os resultados de uma empresa, já que o desempenho cognitivo das pessoas é diretamente impactado por suas escolhas”.

Na mesma linha, a fundadora e CEO da Hisnëk, Carolina Dassie, explica que, a médio e longo prazo, uma alimentação mais saudável e a prática regular de atividades físicas podem reduzir significativamente os gastos com seguro saúde e as taxas de absenteísmo que, para 75% dos profissionais de RH, têm um alto impacto na produtividade e na receita, de acordo com um estudo realizado pela Kronos.

Já uma pesquisa feita pela Towers Watson com 900 empregadores de diferentes continentes revela que há uma forte relação entre programas de bem-estar e produtividade. O estudo comprova que organizações de alta eficácia e com iniciativas de bem-estar sofreram 17,5% menos ausências não previstas.

“Os programas de bem-estar podem ajudar os funcionários a manter estilos de vida mais saudáveis para que não percam o trabalho. Tome medidas para criar uma cultura que se concentre em uma vida saudável e ofereça aos funcionários as ferramentas necessárias para manter a saúde ideal”, sugere, em artigo, Heather Huhman, especialista em carreira.

“É preciso dar um start na população e queremos ser esse vetor de mudança. Diminuir o número de pessoas infelizes no mercado corporativo por meio de soluções criativas e práticas é a missão da Hisnëk”, finaliza Carolina.