Bon Vivant

Vai viajar de moto: confira as dicas de quem entende do assunto

As férias chegaram e você está pensando em pegar sua moto e cair na estrada? Batemos um papo com Daya Chalegre, sócia-fundadora da 1903 Motorcyles (www.club1903motorcycles.com.br) e também do espaço 1903 Batel Gastronomia. Ela é expert no assunto, afinal já fez várias viagens de moto: para o Paraguai, Uruguai, Argentina, Chile e Estados Unidos. Todos os anos vai para a Argentina, com viagens que tem um percurso com cerca de 6.000 km ida e volta.

O primeiro passo, segundo ela, é não esquecer de fazer a revisão da moto, para evitar problemas. “Olhe o estado dos pneus e não se esqueça da calibragem. Os documentos da moto em dia também são essenciais para que você não tenha problemas caso seja parado pela polícia. Veja se o seu IPVA, DPVAT e licenciamento estão pagos, pois o atraso no pagamento pode causar apreensão do veículo. É permitido transitar apenas 15 dias após o vencimento com o documento do exercício anterior”, lembra.

            Na parte prática, caso sua moto não seja equipada com alforges ou maletas apropriadas, tenha sempre uma mochila ou mala impermeável, e elástico para amarrá-la. “Caso não seja impermeável, envolva-a em um saco plástico (é feio mas mantém suas coisas sequinhas!)”, orienta Daya.

Outra dúvida frequente, principalmente para as mulheres, é sobre arrumar as roupas: o principal é não esquecer a capa de chuva, a botinha impermeável e a segunda pele. “Não exagere na quantidade de roupas, pois a viagem de moto é uma coisa para gerar prazer e não estresse, então leve somente o básico! Roupas íntimas, somente o suficiente, se sujar, lave no hotel ou local onde irá pernoitar. Se você possui uma roupa de proteção, viaje sempre com ela, ou então separe uma roupa para usar enquanto estiver pilotando (ida e volta). Não se preocupe, ninguém repara se sua roupa está suja quando está de moto! Leve roupas normais para usar no período que for ficar em alguma cidade ou hotel, camisetas, uma calça jeans, moletom ou jaqueta (dê preferência às roupas com pouco volume), e uma bota ou tênis”, ensina Daya.

Ah! E não esqueça seus produtos de uso pessoal, pois a maioria dos hotéis ou pousadas só disponibilizam sabonete e shampoo. “Desodorante, creme dental, hidratante, escova de dentes e escova de cabelos são o mínimo que se deve levar.  Caso se esqueça de algo, não tem problema, passe em farmácia ou supermercado no caminho e compre. O melhor de viajar de moto é curtir a estrada, se faltar roupa, compre no caminho, o importante é rodar!”, complementa a empresária.

            Entre todas as viagens que Daya já fez, a mais legal foi para o Chile, pois as paisagens no caminho são maravilhosas e atravessar as cordilheiras dos Andes é algo inesquecível. “Rodar pela costa do Chile também é muito lindo. E como o sonho da maioria dos motociclistas é descer os Caracoles, então, posso dizer que esse desejo já realizei… foram 8.000 km de viagem e momentos emocionantes, pois cruzei dois países”, lembra.

            Situações engraçadas também entram para a história. “Eu estava em um encontro internacional de Harley Davidson, em Villa María – Córdoba, em abril de 2017 e o organizador estava dando uma entrevista para um canal de televisão argentino logo após uma prova de habilidade (marcha lenta). Quando eu estava saindo do gramado com minha moto, caí, o cinegrafista viu e ainda deu um zoom… meu amigo me passou o vídeo pelo celular e eu encaminhei para alguns amigos. Depois disso, viralizou para vários países… Não foi falta de experiência, pois eu já andava de moto há bastante tempo, mas foi engraçado! Até hoje não sei como caí, se derrapou, se a moto morreu… mas fiquei famosa!”, diverte-se Daya.