Cultura Educação

Crianças bilíngues? Como apreender o segundo idioma de forma divertida.

Rede de cursos de inglês para crianças oferece metodologia que incentiva o aluno a construir o próprio conhecimento de forma lúdica e interativa

Nos primeiros anos de vida, a criança é mais receptiva a novos desafios que a cada fase se tornam mais complexos. Para que isso continue acontecendo, é preciso propiciar atividades que testem as necessidades e potencialidades dos pequenos. Neste contexto, é importante inseri-la em um ambiente no qual seja estimulada a diversas possibilidades e aprenda o conteúdo com facilidade.

Todo conhecimento para ser adquirido precisa ser construído e isso acontece por meio das interações das crianças com o mundo dos livros e das palavras. Atualmente, as informações chegam na velocidade de um clique e, por tal motivo, a troca entre o professor mediador e o estudante protagonista, que não está ali só para aprender, mas para ensinar, é tão importante.

Esse tipo de método também é aplicado no aprendizado da segunda língua, pois quando a criança é exposta a outro idioma, ela passa por um processo de adaptação, no qual percebe que o inglês é diferente daquilo que já fala. O aluno, então, vai edificar seu conhecimento a partir do que é exposto no contexto escolar e o aprendizado precisa ser baseado em experiências proporcionadas na autonomia e na construção pela interação dinâmica com a língua. 

De acordo com Sylvia de Moraes Barros, CEO da The Kids Club, rede de cursos de inglês para crianças a partir dos 18 meses, quando o indivíduo aprende um segundo idioma desde a primeira infância, torna-se também um agente ativo da sua aprendizagem e capaz de desenvolver outras habilidades, como a melhora no raciocínio, na capacidade de memorização e até no uso da sua própria língua materna. Já em nível pessoal, o contato com outras culturas desde bem pequeno estimula o comportamento tolerante com as diferenças, fazendo com que o indivíduo tenha maior consciência da parcialidade de sua própria cultura.

Na rede, por exemplo, os alunos são levados a situações didáticas desafiadoras para que eles desenvolvam o raciocínio lógico e a argumentação. Além disso, o idioma é ensinado dentro de um contexto conhecido do estudante, criando um ambiente onde o uso seja real e não apenas por meio de palavras soltas. “A língua inglesa é uma experiência de vida, pois amplia as possibilidades de se agir no mundo, é por meio dela que o aluno conhece uma nova cultura e reflete sobre os próprios valores e assim desenvolve o seu pensamento” afirma Sylvia.